Um cavalo

Entre cartinhas pedindo por brinquedos e roupas, a de Gabriel, 15 anos, se destacou por um motivo inusitado: ele queria um cavalo de presente do Papai Noel
historia-umcavalo-mat.jpg

Como colocar um cavalo no saco do Papai Noel? Esse foi o desafio de Michéle Mansor, gestora da Aldeias Infantis SOS de Lorena, a 188 km da cidade de São Paulo, para o Natal. Entre cartinhas pedindo por bonecas, carrinhos, skates e roupas, a de Gabriel*, 15 anos, se destacou. O menino, acolhido em uma casa-lar do programa, pediu a realização de seu maior sonho para o bom velhinho: de se tornar um boiadeiro.

Antes de chegar ao programa, Gabriel teve uma vivência grande com cavalos no bairro em que morava, sabe montar desde pequeno e adora essa cultura de roça, da qual sente muitas saudades. Um de seus objetos preferidos é uma fivela de boiadeiro, que guarda com muito carinho, mesmo estando quebrada.

E foi este amor que o levou a pedir um animal de presente de Natal.  “Nós deixamos que todas as crianças e os adolescentes escolhessem algo a partir de um desejo, que partisse de um sonho. No caso do presente do Gabriel, precisávamos contornar a situação”, explica Michéle.

Para alinhar as expectativas às possibilidades de presentes, a equipe técnica da Aldeias Infantis conversou com todos os 35 acolhidos sobre valor financeiro e valor afetivo, e também sobre a real necessidade de se ter algo pelo simples fato de ser de marca.

“Como toda família, existia um budget, um valor máximo por presente. Por isso, falamos para eles que este também foi um ano de crise para o Papai Noel, e que ele precisava economizar para conseguir dar presentes a todas as crianças”, conta a gestora. Depois desta conversa, o jovem escreveu uma nova cartinha, pedindo por um “kit cowboy”, com direito a chapéu, cinto, fivela e um par de botas.

Todas as cartinhas de Natal foram entregues a padrinhos afetivos, pessoas que voluntariamente se encarregaram de trabalhar como “ajudantes” do Papai Noel neste ano. Os presentes, com as cartas de resposta dos padrinhos, foram colocados embaixo da árvore de Natal de cada casa.

Infelizmente, como todos os presentes deveriam ter mais ou menos o mesmo valor, o Papai Noel não pôde dar o kit cowboy para o Gabriel, pois custaria muito mais caro que os presentes das outras crianças.  Por isso, mandou uma carta explicando o que aconteceu, junto com um boné, uma camiseta e um par de tênis novos.

Na manhã de Natal, as crianças se reuniram em volta da árvore de Natal para abrir os presentes. Todos ficaram muito felizes com o que ganharam, inclusive o Gabriel, que adorou as roupas novas. “Eu queria mesmo o cavalo, mas adorei as roupas novas. Fiquei lindão”, disse animado.

E o que aconteceu com o sonho de montar um cavalo e se tornar um boiadeiro?  Ele continua. Foi apenas temporariamente adiado.

*Nome alterado para preservar a identidade do adolescente.