18. dezembro 2018

Como a música mudou a vida de Debora

Por meio das aulas, ela passou a se desenvolver melhor até em sala de aula

Música é algo que todos gostam. O que varia é apenas o gênero, mais acelerado ou calmo, mais leve ou pesado, não importa, todas elas fazem bem de alguma forma para corpo e mais ainda para a mente. A música estimula a criatividade, acalma, ajuda a concentrar e acelera o desenvolvimento motor e intelectual, principalmente em crianças, daí a importância de investir nessa área da vida dos pequenos.

Ao entrar em uma escola de música, a criança adquire a capacidade de identificar diferentes sons, aumenta sua percepção de tempo, aumenta seu desempenho em esportes e brincadeiras, como pular corda, por exemplo. Tudo isso tem como consequência o aumento da autoestima e da capacidade de socialização da criança.

Essa tem sido a realidade da pequena Debora de dez anos que está inscrita nas aulas de música do programa da Aldeias Infantis SOS de Lauro de Freitas, na Bahia
Por conta de um transtorno mental, ela não conseguia reconhecer as letras do alfabeto. Mas, quando deu início às aulas de música ela passou a reconhecer as vogais e consoantes. Já consegue formar sílabas e escrever seu nome sem tanta dificuldade.

As aulas de música também estão despertando o seu interesse pela escrita. Já consegue fazer as notas musicais e aprendeu a cantar a música "O Cravo Brigou com a Rosa". Isso mudou a rotina de Érica, como também seu comportamento. Está mais calma e dedicada pelas as aulas de música.

De tanto gostar do curso, a menina fica até ansiosa para chegar a semana seguinte das aulas. Faz as tarefas que são deixadas com dedicação e determinação e já avisou: “serei uma cantora famosa”.

“O processo de transformação é perceptivo no dia-a-dia. Até a escola já sinalizou a mudança no comportamento e na dedicação em fazer as tarefas escolares, que antes não eram atrativas para ela”, afirmou o professor de música Hugo Marinho.
"Erica mudou radicalmente o seu comportamento depois que começou as aulas de música e está mais calma”, disse Jacira, a mãe social.